Doenças de Quadril

Artrose de Quadril

ARTROSE DO QUADRIL

A artrose de quadril, também conhecida como coxartrose, osteoartrose de quadril ou artrose coxofemoral, nada mais é do que uma doença articular crônica, inflamatória e degenerativa, caracterizada pelo desgaste progressivo da cartilagem articular (cartilagem hialina) e posterior exposição e lesão do osso subcondral (osso localizado abaixo da cartilagem) da articulação do quadril.
De acordo com a história da evolução, o ser humano deixou de ser quadrúpede para ser bípede há mais de 4 milhões de anos. Com isso, diversas consequências físicas podem ter ocorrido em nosso corpo. Uma delas se refere ao desgaste da cartilagem do quadril (osteoartrose), hoje uma das principais causas de morbidade e inabilidade entre as pessoas idosas.
A articulação do quadril (fêmur e acetábulo) são revestidos por cartilagem articular, um tecido muito liso e macio, que ajuda na articulação dessa parte do corpo sem que haja atrito. Com a mudança postural do homem, essa cartilagem passou a ser mais exigida. Quando o ser humano era quadrúpede, o quadril ficava mais horizontal e seus ossos se encaixavam melhor do que na posição vertical (bípede).
No início do processo, ocorre desorganização da estrutura de colágeno e a cartilagem sofre afilamento ou algumas irregularidades, mas ela ainda está presente recobrindo o osso. Em fases mais avançadas da doença, algumas regiões de cartilagem desaparecem completamente, ocorre, então, exposição do osso subcondral e os ossos acabam entrando em atrito direto uns com os outros. Isso gera um processo intensamente doloroso e marcado por limitação da função do quadril e das atividades de vida diária do paciente, o que compromete diretamente sua qualidade de vida.
Os números assustam. Segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde, cerca de 70% a 80% da população com mais de 65 anos possui artrose em algum grau.
Além disso, a doença é considerada pelo Ministério da Previdência Social e do Instituto Nacional de Seguro Social do Governo Federal, a terceira causa de afastamento de trabalho no Brasil. A doença é tão comum que representa de 30% a 40% de todas as consultas em ambulatórios de reumatologia, além de afastar 7,5% dos trabalhadores.
Normalmente não existe predominância de artrose no quadril direito ou esquerdo, nem em acometimento de um dos quadris ou de ambos.

 

ETIOLOGIA - CAUSAS

Existem duas formas básicas de alterações: a artrose primária (ou idiopática) e a artrose secundária. Esses dois tipos são determinados de acordo com os fatores responsáveis pela causa da doença.
A artrose de quadril primária é aquela em que, geralmente, não é possível identificar a causa precisa do desgaste articular. São os casos em que apesar de uma avaliação bem detalhada e de uma boa análise clínica do paciente e dos exames de imagem, o fator causador da doença não pode ser claramente determinado. Até o momento, sabe-se que alguns fatores como predisposição genética, estilo de vida com intensa sobrecarga (atividades repetitivas de impacto nas articulações, a grande mobilidade da articulação do quadril e atividade física intensa) e desequilíbrios musculares podem estar relacionados à artrose de quadril primária.
Já a artrose de quadril secundária é responsável por cerca de 52% dos casos de desgaste da articulação do quadril e é basicamente definida por casos em que a degeneração foi provocada por defeitos congênitos ou adquiridos. Nesse contexto, dentre as causas mais comuns estão doenças da infância como displasia do desenvolvimento do quadril e a doença de Legg-Calvé-Perthes. Outras causas são o impacto femoroacetabular, osteonecrose da cabeça femoral, processos inflamatórios (artrites), processos infecciosos no quadril, distúrbios metabólicos e hormonais.

 

SINAIS E SINTOMAS

Como a artrose é uma doença de progressão gradual, os sinais e sintomas do acometimento da articulação do quadril também seguem uma sequencia progressiva de leves a extremamente limitantes.
Os primeiros sinais da artrose de quadril são: rigidez articular, sobretudo pela manhã; dor periarticular como a nádega, virilha e lateral da coxa. Uma das principais queixas estão relacionadas a limitação das atividades diárias como: entrar e sair do carro ou calcar os sapatos.
Com a evolução da artrose o desconforto se torna permanente e a limitação mais intensa, surgindo a claudicação (ato de mancar). O paciente se torna cada vez menos ativo, contribuindo para o agravamento do quadro, pois geram enfraquecimento dos músculos da coxa e nádega, que são importantes protetores da articulação do quadril.



DIAGNÓSTICO

O diagnóstico é feito por meio de historia clinica e exame físico detalhados. No exame físico a amplitude de movimento do quadril e força muscular são avaliados de rotina, além de dismetria (diferença no comprimento dos membros). Tudo isso para identificar alguns sinais e sintomas citados anteriormente.
Posteriormente, partindo da hipótese de comprometimento da articulação do quadril, exames de imagem são solicitados para que a causa da dor no quadril seja determinada e o diagnóstico concluído.
As radiografias são indispensáveis para o diagnóstico e classificação da artrose (grau de artrose), pois isso guiará o tratamento. Outros exames, como Ressonância Magnética ou cintilografia óssea, só estão indicados em casos específicos, quando há suspeita de lesão do lábio acetabular, impacto femoroacetabular ou necrose óssea.

 

TRATAMENTO

O tratamento da artrose do quadril vai depender da etiologia, do grau de comprometimento e das condições gerais do paciente. Inicialmente está indicado o tratamento conservador, com uso de medicamentos, reabilitação (fisioterapia e exercícios) e controle de peso. Quando não há sucesso no tratamento inicial outras opções terapêuticas podem ser empregadas. Podendo ser realizada infiltração articular, viscossuplementação e artroscopia.
Dependendo do nível de comprometimento da articulação, a cirurgia é vista como a última opção de tratamento. Normalmente é uma opção após a falha dos tratamentos conservadores ou diante de um grau muito avançado de desgaste do quadril.
Para a artrose do quadril, a cirurgia mais indicada é a artroplastia ou prótese de quadril, que consiste basicamente na substituição total ou parcial das superfícies articulares por estruturas de cerâmica, metal e polietileno. É uma cirurgia bastante invasiva, porém, quando bem indicada, apresenta grandes taxas de sucesso, principalmente na redução da dor e melhora da função do paciente.
Vale lembrar que essa cirurgia necessita de um tempo prolongado de recuperação e, ainda assim, é necessário que o paciente, após a operação, seja submetido a um processo de reabilitação com fisioterapia especializada para que possa atingir o máximo de independência, com o mínimo de limitação.

 

A Ortopedia Bedran é cinco estrelas na Doctoralia

Veja o que andam comentando sobre nós
Ir para Doctoralia
Entre em Contato Com Facilidade. Preencha este pequeno formulário abaixo e a Clínica de Ortopedia Bedran irá entrar em contato com você.