Procedimentos

Cirurgia Endoscópica

Cirurgia Endoscópica

 

As história da endoscopia é antiga na medicina. Com início no século 19, o princípio proposto pelos médicos que iniciaram as experiencias era conseguir visualizar e manipular o corpo humano através de pequenos acessos ou orifícios, evitando uma maior cirurgia para tal feito. Inicialmente utilizaram-se aparelhos com afastadores especiais e iluminação própria, bem como materiais especiais para proporcionar uma visibilidade  adequada e permitir que através de pequenos cortes (cirurgias minimamente invasivas) consiga ser realizada a cirurgia convencional – como na fixação de fraturas ortopédicas com materiais especiais.

 

As técnicas se modernizaram, e atualmente muitas cirurgias são realizadas quase exclusivamente através pequenas câmeras -endoscópios- e pinças especiais (histeroscopia, colecistectomia, meniscectomia, reconstrução de ligamentos). A cirurgia de coluna está em evolução, seguindo as tendências mundiais em redução de danos cirúrgicos a tecidos saudáveis e aumentando a ação do cirurgião através de acessos cada vez menores e menos agressivos.

  

A cirurgia endoscópica da coluna é uma técnica cirúrgica moderna, utilizada para a realização de alguns dos procedimentos obtendo bons resultados, porém com menos agressão para o paciente. Atualmente alguns cirurgiões utilizam essa técnica para a realização de artrodese de coluna e para alguns passos técnicos de correção de deformidade na coluna, porém as indicações mais formais são para os casos de hérnia de disco e estenose vertebral. É necessária a avaliação por médico especialista para determinar o melhor tratamento para a doença e paciente, e para avaliar a melhor técnica cirúrgica a ser utilizada caso a caso.

 

   A maior vantagem desta técnica está na mínima agressão, isso por que a musculatura não é cortada, mas afastada por tubos através de uma pequena incisão na pele. As outras estruturas (ossos, ligamentos e cartilagens) são lesadas o mínimo possível, podendo ser realizada muitas vezes apenas com sedação e anestesia local. Assim a dor pós-operatória, o sangramento e o risco de infecção são muito menores que na cirurgia convencional.

 

   Passos técnicos:

• Sedação em ambiente cirúrgico com anestesia local (eventualmente pode ser realizada sob anestesia geral)

• Posicionamento dos guias com ajuda de aparelhos de imagem (radioscopia)

• Acesso pequeno (geralmente 1 a 2 cm)

• Introdução dos guias e cânulas (tubos que afastam a musculatura) até o disco ou vértebra a ser operada

• Realização da cirurgia e passos técnicos (retirada da hérnia ou descompressão óssea) com ajuda de pinças especiais, cautérios e hemostáticos e fresas

• Algumas cirurgias incluem a liberação dos ligamentos e retiradas dos discos (deformidades) e até mesmo a colocação de materiais para a fixação da coluna (cages por via endoscópica)

• Sutura da pele

 

   A recuperação pós operatória se torna muito mais rápida; tanto para as atividades habituais como para o trabalho. Geralmente a alta hospitalar ocorre em 1 dia, e a recuperação global é mais acelerada que a cirurgia convencional. A discectomia e a descompressão endoscópicas se tornaram importantes opções terapêuticas para os pacientes que necessitam de tratamento cirúrgico para hérnia de disco, mostrando ser um procedimento minimamente invasivo, com danos teciduais mínimos, redução de sangramento, maior segurança cirúrgica e menor tempo cirúrgico, com índice de infecção baixo ou nulo.

   

Fonte:

  • Tratamento cirúrgico endoscópico da hérnia de disco  - SBC

A Ortopedia Bedran é cinco estrelas na Doctoralia

Veja o que andam comentando sobre nós
Ir para Doctoralia
Entre em Contato Com Facilidade. Preencha este pequeno formulário abaixo e a Clínica de Ortopedia Bedran irá entrar em contato com você.