Procedimentos

Cirurgia Minimamente Invasiva

Cirurgia Minimamente Invasiva

 

No final da década de 80 foram realizadas as primeiras cirurgias com sucesso com técnica minimamente invasivas, com seu início nos estados unidos através de cirurgias como colecistectomias (remoção de vesícula biliar) e videolaparoscopias (visualização da cavidade abdominal através de “câmeras”). O princípio dessas cirurgias era conseguir realizar a técnica convencional através de pequenas incisões e menos dano nos tecidos sadios do paciente, e deste modo permitir uma recuperação mair rápida e menos dolorosa. Essa mesma proposta passou a ser seguida por diversas áreas da medicinas, entre elas a cirurgia de coluna.

 

A cirurgia de coluna é tradicionalmente realizada através das técnicas convencionais “abertas”, nas quais a pele, tecidos e musculatura são cortados e afastados, levando a danos em tecidos sadios do paciente. Em busca de menores lesões nesses tecidos e menor agressão, surgiram as cirurgias minimamente invasivas. Elas são realizadas através de afastadores e com materiais especiais que permitem a realização da cirurgia através de pequenos cortes ao longo da coluna a ser operada, como uso de lupas, microscópios e iluminação própria adequada. Praticamente todas as cirurgias convencionais podem ser realizadas através dessas técnicas minimamente invasivas, dependendo apenas da indicação correta e da realização por profissional especializado.

 

    A técnica consiste em:

• acessos pequenos na pele, (alguns centímetros);

• afastamento dos tecidos e musculatura com dilatadores especiais que evitam danos maiores a região;

• abordagem focada na lesão e nos tecidos doentes da coluna preservando os tecidos sadios (retirada da hérnia de disco, descompressão óssea ou remoção de tumores);

• fixação da coluna caso necessário (através de implantes especiais guiados por radioscopia e fio guia que auxiliam na correta posição dos parafusos, e espaçadores -cages- discais)

• sutura dos tecidos

 

    Como a cirurgia minimamente invasiva da coluna não envolve grandes incisões e visa proteger as estruturas sadias do paciente, o risco de sangramento, infecção e dor diminuem. Na maioria dos casos o paciente retorna precocemente para as funções habituais do dia a dia, uma vez que a sua recuperação é acelerada em relação as técnicas convencionais. Habitualmente o paciente permanece internado apenas de 2 a 3 dias, iniciando a fisioterapia e possivelmente a deambulação já no primeiro dia.

 

    Apesar da recuperação inicial ser mais vantajosa, a recuperação a longo prazo permanece igual a obtida com as cirurgias convencionais, devendo ser respeitadas as orientações do médico de acompanhamento conforme a cirurgia realizada. Assim o grande benefício desse tipo de cirurgia está na recuperação mais precoce, e nos menores índices de infecção, sangramento e dor.

  

Fonte:

  • American Academy of Orthopaedic Surgeons

 

A Ortopedia Bedran é cinco estrelas na Doctoralia

Veja o que andam comentando sobre nós
Ir para Doctoralia
Entre em Contato Com Facilidade. Preencha este pequeno formulário abaixo e a Clínica de Ortopedia Bedran irá entrar em contato com você.