Procedimentos

Descompressão

Descompressão

 

A cirurgia de descompressão do canal vertebral é um procedimento indicado para o tratamento da estenose vertebral, seja ela de origem tumoral, degenerativa, traumática ou ocasionada por deformidades. As indicações da cirurgia dependem da doença que causou a estenose e da gravidade da compressão dos nervos /ou medula, devendo ser avaliado caso a caso por médico especialista, bem como a associação de outros procedimentos como artrodese de coluna e correção de deformidades.

 

Diversas técnicas são utilizadas para obter esse resultado desejado, podendo ser realizada cirurgia convencional ou minimamente invasiva. Independente da técnica, é importante salientar que o princípio da cirurgia consiste na descompressão de todo o tecido neurológico comprimindo, permitindo a sua livre movimentação e com isso a diminuição do edema e da inflamação local.

 

A cirurgia de descompressão direta consiste em remover o tecido doente, ou afastá-lo da estrutura neurológica em risco, de modo que a compressão da medula ou nervo acometido diminua. Exemplos de descompressão direta:     

• Laminectomia: Procedimento realizado através de um acesso posterior à coluna, abertura da musculatura ou afastamento da mesma, seguido de remoção do arco ósseo posterior da coluna (lâmina), processo espinhoso e ligamentos amarelo e interespinhoso.

 

• Laminoplastia: Procedimento realizado através de um acesso posterior à coluna, abertura da musculatura ou afastamento da mesma, seguido de abertura do arco ósseo posterior. Essa descompressão pode ser conseguida através de cortes nos óssos (um completo e outro parcial que servirá como uma dobradiça) seguidos da abertura do canal como um alçapão, levantando a “tampa óssea” e mantendo-a fixa com placas, pinos ou enxerto ósseo.

 

• Foraminotomia: Entre as vértebras existe um espaço destinado a saída das raízes nervosas – forame intervertebral -, que eventualmente sofre estreitamento por diversas causas, entre elas a presença de hérnia de disco. O procedimento é realizado através de acesso posterior ou anterior (coluna cervical), com afastamento das estruturas seguido de abertura desse espaço, com remoção de ossos e discos que sejam a causa dessa compressão. Utiliza-se geralmente brocas e perfuradores especiais que permitem uma maior remoção do tecido doente mantendo a segurança do nervo.

 

• Corpectomia: Procedimento realizado através de acesso posterior, lateral ou anterior na coluna, com afastamento das estruturas de risco e musculatura seguidos da retirada total ou parcial do corpo vertebral. Após o acesso à coluna, retira-se com instrumentos especiais os fragmentos de osso diretamente do corpo vertebral, abrindo o canal medular. Esse procedimento é reservado a casos de compressões severas como tumores, fraturas e deformidades.

 

 

  

Imagam Ilustrativa de Descompressão Lombar
Imagem Ilustrativa de Laminoplastia
 
 

A descompressão indireta é conseguida através da utilização de implantes e dispositivos que atuam nos ossos da coluna, afastando-os, estirando os ligamentos (que podem causar a compressão devido a sua “frouxidão”) e aumentando o espaço entre as estruturas ósseas (forame intervertebral). Exemplos:

• Dispositivos intersomáticos: Procedimento realizado através de acesso posterior, lateral ou anterior na coluna. Afastam-se as estruturas em risco e a musculatura conseguindo o acesso à coluna. Retira-se o disco intervertebral e utilizam-se instrumentos apropriados para refazer o espaço discal natural, o que refaz a arquitetura anatômica, amplia os forames e recompõe o formato dos ligamentos da coluna, conseguindo indiretamente abrir o canal medular. Esse espaço é mantido através de substitutos do disco, chamados de cages (dispositivos intersomáticos) e realiza-se a artrodese do segmento operado. 

 

• Dispositivos interespinhosos: Procedimento realizado através de acesso posterior na coluna seguido de abertura e afastamento da musculatura. Diferente dos demais esse procedimento é realizado apenas na coluna lombar. Após o acesso à coluna utilizam-se afastadores que dilatam o espaço entre os ossos posteriores da coluna (processos espinhosos) e esse espaço é mantido através de implantes especiais, que permitem o estiramento dos ligamentos da coluna e abertura indireta do canal medular sem a necessidade de artrodese.

 

Todas essas técnicas descritas apresentam indicações e contra-indicações que devem ser discutidas caso a caso com o médico de confiança. A reabilitação pós cirúrgica prescrita pelo médico que realizou o procedimento deve ser rigorosamente obedecida, para permitir uma adequada recuperação e obtenção dos resultados desejados.

     

A Ortopedia Bedran é cinco estrelas na Doctoralia

Veja o que andam comentando sobre nós
Ir para Doctoralia
Entre em Contato Com Facilidade. Preencha este pequeno formulário abaixo e a Clínica de Ortopedia Bedran irá entrar em contato com você.